Seguidores

Aqui tudo é construindo com muita Poesia!!!

OBRIGADA.



Photobucket




segunda-feira, 29 de junho de 2009

CHUVA


Hoje mais um dia se passou.
E no peito eu trago a saudade, de uma mor distante.

Lá fora a chuva fria e fina, cai lentamente.

E uma saudade louca invade o meu coração.

Meus olhos sem querer, deixam cair uma lágrima,
com sabor de dor!
Dentro do peito, um suspiro sufocado,

para ninguém perceber, o soluço que morre na garganta.
Olho pela janela e nada vejo!
Fico olhando a chuva, que cai no chão e lembro-me,

do momento em que nos conhecemos.
Você, ainda se lembra?
No olhar as lágrimas nascem rapidamente.

E não consigo controlá-las pois, você é a causa dessa dor!

A tristeza que está agora em meu olhar, é tão somente por não tê-lo...
A saudade maltrata o coração.
Fere e é capaz de deixar cicatrizes profundas.
Esta saudade, esta distância que nos separa,

que nos deixam longe um de outro, do nosso olhar, machuca muito.
Distante do teu perfume suave e gostoso, que exala numfrescor!
A noite, vai entrando madrugada a fora, e a saudade,
vai aumentando cada instante.

Na penumbra da noite, uma luz brilhando além.

Olho até o horizonte e entre as nuvens a sua imagem,

sorrindo como, se nada estivesse acontecido...

Na tentativa de aproximar, mais perto de você,
vasculho todo o meu ser.
E essa tentativa, fere-me profundamente.
Pois sei que não posso trazê-lo.
A única certeza que tenho é que posso, trazê-lo em meu pensamento.
Ficará a doce lembrança dos beijos dados com amor,
dos olhares que trocamos, e do pequeno romance que vivemos.



(Autoria: Sandra Andrade).

sábado, 20 de junho de 2009

Queria Ser..


Queria Ser sua música predileta
Que num momento qualquer você a cantasse.
Ser sua frase preferida.
Para ser recitada sempre, em seus lábios!
Elevo meus pensamentos ao céu, tentando encontrar uma resposta,
porque desse amor tão forte!
Porque lhe amo tanto assim,
e porque sofro, tanto com esse amor.
Fico indagando a esse Ser Transcendental, que todos nós amamos:
-Qual a razão maior que me fez amá-lo, tanto assim.
Porque és a força constante de querer tê-lo ao meu lado.
Mas, de repente, a resposta se torna um enigma, que não consigo decifrar.
E a única coisa que sei, é que o amor aumenta cada vez mais.
Por que será amor, que as vezes, esse Ser que tanto amamos nos apresenta surpresas?
E que só depende nós, em descobrir os motivos e as causas!
Queria entender, por que és a emoção forte, que perturba o meu ser?
Por que és a minha alegria e ao mesmo tempo sinal de tristeza?
Por que és o meu vazio de vez em quando?
Por que és sinal de amor, quando és ao mesmo tempo o sinal de pecado?
Por que és a liberdade, se ao mesmo tempo tempo,
tornaste um amor proibido?
Por que és a fonte de uma nova vida,
quando estou quase morrendo de saudade e angústia?
Por que és a música que amo, se cada vez que a ouço fere ainda mais meu coração?
Por que és a minha melodia, se cada vez que toca no rádio, e
minh'alma fica a suspirar, como se estivesse pedindo um pouco de amor,
um pouco de sua vida?
Por que não rasgar o véu da dor e vestir de carinho e ternura, esse pranto?
Por que não descalçar a tristeza, a saudade e calçá-la de doçura e candura?
Por que não tirar este cálice e oferecer uma taça de amor,
com sabor de alegria?
Dê a alma uma veste branca e queime toda a obscuridade,
que cobre minha mente.
Despe-te no teu coração e deixa o amor entrar livre em teu peito,
sem reprimir qualquer emoção, qualquer sentimento!
Não sufoque! Deixe-os soltos como pássaros livres para voar.
Permita-te a este amor, mostrando quão grande és.
Dê a chance de te descobrir como amor,
e verás o quanto te amo, o quanto é grande este sentimento,
que você fez nascer dentro de mim.
Deu vida. Agora és responsável.
Entraste em minha vida, sem ao menos avisar, e um grande amor se fez.
Eu e Você!
Somos dois seres que se encontraram por encanto,
e que juntos sentimos a emoção brotar, dentro do peito!
Por que não caminharmos lado a lado, vivendo esse amor sem fim?
Pois o amor é sacrifício, para uma plena felicidade.
Diante disso tudo, o que mais posso dizer-te, além de: EU TE AMO!



(Autoria: Sandra Andrade)

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Meditação



Nas voltas que a vida dá,
temos a certeza que poderá trazer lembranças de coisas boas e ruins...
Mas quando se ama, quando se acredita, nem sequer,
lembramos dos resíduos que ficaram...
Lembramos sim, as doces ternuras que se trocam.
Ao passarmos pela vida, devemos ser autênticos e coerentes conosco mesmo.
Teremos que ser autruistas e não pessimistas, para aqueles que nos seguem.
Devemos trazer na áurea, a plenitude de uma virtude digna de ser vivida,
e glorificada aos olhos daqueles que nos rodeiam.
Se no ontem estávamos tristes, não importa.
O importante que o hoje será muito melhor,
Pois ele é, o caminho para o amanhã.
Se pararmos e questionarmos o tempo,
veremos que esse tempo, já deu tempo um novo tempo.
O essencial nele é a Paz.
A credibilidade no nosso ser.
Só assim, aquele que é descrente, se envergonhará de nunca ter acreditado.
Ao olhar para traz, não se envergonhe de se passado,
ele é vinculo de tua felicidade, que hoje sente.
Não seja descrente, seja autêntico...
A força do amor encoraja às mais belas lutas,
principalmente por você que é muito importante para mim...
Ser fonte de luz aos olhos de alguém, é um ato de amor e doação...
Sermos a ponte que leva ao outro lado da vida,
é darmos a oportunidade, do outro se conhecer melhor!
Não digas nunca"não", às pequeninas fagulhas da responsabilidade pela pessoa outro...
Talvez um dia, alguém que você nunca viu,
Poderá lhe dizer um "sim" que lhe causará espanto...
Seja você mesmo!
Na sua integridade cristã!
Seja um espelho para o outro,mas de fé, tolerância, bondade
e generosidade e não de preconceito e tabus.
Não diga em vão aquilo, que não queres penar.
Deixe a paz e a voz do coração falar mais alto.
Ouça-a na sua simplicidade e capacidade de amar!
Seja a vida para a morte nunca a morte para a vida.
Seja você e deixe eu te amar assim como és.
E nessa ternura, nessa meiguice de um olhar sereno que trago no peito,
nesse desejo contínuo de estar ao teu lado, deixe eu te amar.
Pois és a força de inspiração para este poema.
Nele eu encontro rimas e versos, tão lindos, quanto você.
Porque posso terminar dizendo: -Amo você, minha doce vida!


(Autoria: Sandra Andrade)

segunda-feira, 8 de junho de 2009

Repasse...


Muitas vezes passamos pela vida, e não damos conta das belezas que nos rodeia. Andamos agitados, deixamos a paz de lado,
e nem sequer nos lembramos de dar,
um bom dia a nós mesmos.
Esqucemos de nos perguntar se está tudo bem.
Vivemos tanto em função da máquina,
que nem tiramos um tempinho para refletir,
o dia que passou.
Mas também, chegamos tão cansados, exausto pelo o dia do trabalho.
Tantos comprimissos assumidos, tantos pápeis para assinar.

E será que lembramos de assinar a nossa vida?

Lemos e relemos tantas correspondências repassadas.

Será que fizemos um repasse em nossa vida?
Ou a vida se encarregará disso sozinha!

Será que lembramos de fazer uma analise do livro de nossa vida?

Seria tão bom se pudessemos dar um basta nas coisas, que nos entregam.
E pode ter mais tempo para poder viver com dignidade.

Ter uma vida de lazser, mais apropriada as nossas necessidades.

Sem ter que correr na corrida do ouro.

Quando será que teremos autonomia e viver, como seres que pensam, que sentem, amam, respiram, enfim, quando será que a igualdade chegara??
Onde não mais existira, tanta miséria, tanta sede de justiça, tanta fome de liberdade.
Onde não mais existira angústia e ansiedade.
Queira Deus que o Homem, logo cresça e enxergue mais a frente,
que deixe de ser ambicioso e simplesmente ame.
Então assim, heverá mais confraternização,
haverá mais consciência, mais esperança de vida melhor.
Caso contrário, será somente repasse de fotocópias,
ou uma simples imitação de computadores, de máquinas, que querem sempre mais.

Esquecendo simplesmente que é um ser Humano,
tornando um computador ambulante.

É isso que tenho a dizer:

-Vamos assinar a nossa própria vida, antes que alguém assine por nós!


(Autoria:Sandra Andrade)

domingo, 7 de junho de 2009

Somos Livres....


Somo Livres a partir do momento que aceitamos.
A medida que vamos crescendo, pecebemos que a vida é muito bela.
Mas os seres que a compõe essa vida, são diversificados...


Quem dera ser o Homem como os animais irracionais: pois os mesmos se amam,

se respeitam, e só lutam pela sua sobreviência.
Eles estão sempre unidos.
Há uma diferença de cor e raça.
Assim como existe, no Homem.
Mas, nem por isso, os animais, são levados pela mesquinhez sovina, como os homens.

Quem dera ser o Homem um jardim.

As flores como sabemos, são diferentes na sua espécie e cor.
Mas, nem por isso deixam de colorir e perfumar...
Exalam seus perfumes longe.
Com um aroma suave e doce das noites de primavera.
Por que será que os não Homens são assim?
Por que não espalham calor, ao invés da dor, da injustiça, o odio, a descrença, a destruição?

Quem dera ser o Homem como os pássaros: unidos e livres, assim vomo os Gansos.

Os pássaros são diferentes na sua cor e raça.
Mas nem por isso, deixam de cantar e voar,
livres pelos quatro cantos do mundo.
Enquanto o homem vive preso pela sua consciência.
Não trás cantigas em seus lábios,
Nem tão pouco, leva uma frase de amor e paz aos pequeninos seus.

Quem dera ser o Homem com as árvores, que levam pureza e beleza ao ser vivo.
O homem no seu universo, só polui o seu próprio ar.
Congestiona olhos e corações.

Quem dera ser o Homem livre, puro, justo, ser principalmente Homem.
Só assim este planeta não estária tão conturbado, cheios de hipocritas desumanos.
Não haveria violência, nem injustiças.
Hsveria sim, muito amor, muito mais vidas e menos mortes.
Haveria mais integridade, menos interesse.
Haveria sim, um mundo mais feliz e justo!
As pessoas poderiam amar seguras em qualquer momento,
Sem medo de serem atacadas por outros seres da mesma espécie humana.
Por que não começar a mudar?
Por que não destruimos esses fantoches que estão por ai espalhando seus venenos,
suas maldições, sendo chupins de uma grande verdade?
Espelham o terrorismo, a descrença.
Não podemos deixar que os malfeitores castrem os corações puros,
pois assim, não haverá mais luz.
E todos os olhos se fecharam para a bondade e o amor morrerá.
Não podemos deixar que os desajustados, espalhem malícias e condenem nossas cabeças.
É preciso que usamos a arma do amor e os derrotamos.
Só assim, o mundo começará a ser mais dignos de ser vivido...
A esperança voltara a renascer, e a paz existirá...
(Autoria: Sandra Andrade.)

sábado, 6 de junho de 2009

Ser


É marfavilhoso poder acordar
E sentir um mundo puro e belo...
Muito mais belo é tornar o nosso mundo interior maior.
Cheia de graças, pois é só assim, entenderemos o valor que temos de ser útil a alguém.
Não basta dizer que a vida é um droga,
quando não fizemos nada por ela.
Quando somos nós que destruimos com nosso orgulho,
egoísmo, ou simplesmente por criticarmos.
É maravilhoso acreditarmos ao invés de auto-desvalorizarmos-nos.
Quando existem tantos querendo ocupar este lugar,
nem qur seja por alguns segundo.

Um espaço que é tão belo e não percebemos.
tudo isso pela ambição de querer ser maior.
Quando na realidade somos tão pequenos e apegados as coisas materiais.
E esquecemos o essencial, que é sermos nós mesmos, e principalmente,
Nos valorizarmos, como seremos humanos.
Como criaturas humanas, que fomos gerados com muito amor.
Como é gratificante e maravilhoso poder deitar,
Depois de um dia de trabalho, de luta, saber que fomos úteis para alguém.
Que deixamos marcas em nossos caminhos.
E que o pouco que projetamos foi bem aceito e valorizado.
Que mais uma folha do nosso livro da vida foi rascunhada.
Que mais uma linha foi escrita, e ficará registrada na mente sã dos que viverem.
Lembraram que um dia, alguém por ali passou e um exemplo bom deixou.
Que foi ser, simplesmente o que é: SER.

(Autoria: Sandra Andrade)

quinta-feira, 4 de junho de 2009

Pergunte


Gostaria de perguntar ao céu
Para onde levou seu pensamento.

A que mundo você pertence...
Queria perguntar ao sol Em que mares ele o esqueceu
Em que lugares secou seu pranto!
Perguntar a chuva, porque apagou seus últimos rastros,
Por que o mar levou suas pegadas deixada na areia.

Em qual esquina o vento soprou seus cabelos,

Como se fosse acaríciá-los. Em que avenida a luz viu você passar.
Queria perguntar a Deus, porque Ele levou você, para longe de mim,
Deixando uma dor sem fim dentro do peito!
Por que você partiu se a gente ainda se ama...

Por que você foi sem dizer adeus!
Por que!
Em cada canção, uma recordação.

Amanhã talvez, Deus me devolverá todo o seu amor...


( Autoria Sandra Andrade)

Manhã de Inverno




Levanto cedo!
Olho pela janela do quarto e os primeiros raios de sol
apontam entre as nuvens ainda carregadas pelo frio da noite,
Que se manifestam pelo balançar das árvores e do vento suave,

que sopra meus cabelos lentamente e deslizando n
o meu rosto vão acariciando,
Como mãos de mãe numa manhã de inverno.
Saio pelas ruas, caminhando lentamente, olhando tudo ao meu redor, principalmente o sol, que suavemente aquece o meu ser,
cada casa,
cada lugarzinho, que ali está.
Enxugo da janela as gotículas de orvalho que caíram,
lentamente como uma neve branca,
marcando os pastos do planalto...
Deleito-me sobre a cidade, onde pouco movimento existe, a não ser os barulhos dos carros, cruzando-se pela avenida, numa manhã de domingo. Entre esses barulhos, tudo existe... uma paz, um silêncio...
...e inquietamente, procuro saber de onde vem esse barulho, esse silêncio.
E não, me custa muito descobrir.
É um silêncio interior, vindo de dentro do íntimo e suavemente ele vagueia por meus pensamentos, conduzindo-o pelo imenso céu azul.

É algo puro e gostoso, que mexe com nossa emoção...
De repente esse silêncio é quebrado pela saudade que aperta o coração, querendo consumir a alma, como se fosse uma arma fatal.
Dá uma saudade louca de você.

E procuro buscar pelo vazio da distância,
a imagem terna e meiga de sua imagem,
Que se fotografa em minha mente e que se revela no azul do céu,

como se fosse fantasia de um ser interior.

Sinto vontade de correr contra o vento e chegar até você
e dizer o quanto é grande o meu amor por você!
O quanto é grande esse amor que está na alma e que invade o meu coração,
ferindo o peito como se fosse o último cálice a ser bebido.
Meu pensamento vai tão longe.
Um grito de gol, ele ouve recordando as suas jogadas com emoção,
dando a vida um gol da vitoria, um gol da conquista.
Entre esses gritos de gol que ouço, queria poder também gritar ao mundo o quanto Eu te Amo. Mas é impossível...
Pois, o jogo já acabou, terminou e
só restou a bandeira branca da despedida, hasteada numa manhã de inverno...



( Autoria de Sandra Andrade).

Entender


Sabe Deus!
Gostaria de entender por que
doí tanto assim o peito,
quando vejo o meu amor...

Gostaria de entender por
que, quando o vejo, meu corpo estremece,
E por que sinto vontade de gritar seu nome, de tanta felicidade,
Por que me dá vontade de chorar, quando estou longe de seu ser...

Gostaria de entender, Deus, por que o amor, tem medo de deixar transparecer seus sentimentos.
Por que caminhamos lado a lado, e não conseguimos dizer que nos amamos.

Por mais venha até aos lábios, e no mesmo instante,
as palavras são apertadas no serrar dos lábios;

E as mesmas palavras frases morrem na garganta,

E num suspiro abafo todo esse amor.
E mais uma vez não consigo dizer o que sinto ou sentimos.

E mais uma vez, o amor morre, na certeza de um amanhã melhor.
Por que Deus, somos assim.
Sem coragem, covardes para nos desabafar?
De falar do nosso amor!

E quando fizemos isso,quando nos enchemos de coragem, o outro finge não ouvir, o outro se torna insensível ao amor...
Por que essa vontade de chorar.

E por que mentimos, dizendo não sentirmos nada,
quando o coração,
está transbordando em lágrimas?

Por que mentirmos e não dizer a verdade!

Por que não aceitamos o amor simplesmente como ele o é?


(Autoria de Sandra Andrade)